Vitória da resistência em defesa do saneamento público: MP 844/18 não foi à votação na Câmara

 

Ás 20h35 do dia 13/11/18, foi enterrada a MP 844/18. Com a pressão dos trabalhadores junto aos parlamentares, a MP do Saneamento não foi colocada em votação na Câmara dos Deputados e, como não há mais sessões deliberativas na Casa antes do dia 19/11 quando a MP perde sua validade, a MP deixa de existir. Vitória dos trabalhadores e de todos que defendem a água e o saneamento como direitos e não como mercadorias!

Em um dia de muita resistência dos trabalhadores do setor de saneamento e das entidades que defendem o saneamento público no país, a MP 844/18 – MP da Sede e da Conta Alta – não entrou na pauta de votação da Câmara dos Deputados, nesta segunda-feira (12/11).

A votação foi adiada após acordo entre a liderança do governo e a oposição e foi agendada reunião para negociações envolvendo o Ministro das Cidades, Alexandre Baldy, e deputados do governo e da oposição, para esta terça-feira (13/11).

Dia de luta

Esta segunda-feira (12/11), na Câmara dos Deputados, foi um dia intenso de luta das entidades que compõem a Frente Nacional pelo Saneamento Ambiental – FNSA. Os representantes das entidades estiveram reunidos com parlamentares apontando as consequências nefastas de uma possível aprovação da medida, em um árduo trabalho de argumentação e convencimento.

Pelos corredores do Congresso, trabalhadores e militantes também se posicionaram para conversar e sensibilizar os deputados sobre os reais problemas da MP 844, sob a perspectiva da população.

O presidente da Federação Nacional dos Urbanitários – FNU, Pedro Blois, explica que “foi mais uma importante vitória nesta segunda-feira” e parabeniza a todos os envolvimentos, em especial, a categoria dos urbanitários pelo esforço concentrado. No entanto, ele adverte que ainda há muita luta, por isso “a mobilização tem que continuar, inclusive por aqueles que não podem estar presentes em Brasília, fazendo a pressão junto aos parlamentares nos estados e no esclarecimento à população sobre os prejuízos que a MP 844 causa, principalmente, aos mais pobres”. “Vamos continuar na luta contra a entrega à iniciativa privada dos serviços públicos de saneamento do país”, enfatizou Blois,

Entre as entidades presentes em Brasília, estavam: FNU, ABES, ASSEMAE, AESBE, FNE, FNSA, UnB, sindicatos dos urbanitários dos estados do Acre, Alagoas, Bahia, Minas Gerais, Brasília, Roraima, Pará, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Sergipe, Rio Janeiro, São Paulo, Rio Grande Sul.

Fonte: FNU

Prev O Staecnon completa 55 anos de lutas em prol da categoria
Next No Rio de Janeiro, Cedae Saúde oferecerá plantão de atendimento durante o carnaval.