Não a privatização do patrimônio do povo brasileiro.

Não a privatização do patrimônio do povo brasileiro.

Os privatistas tentam a todo momento convencer a população que Governos não devem ter empresas. E isso é uma verdade, não deve e não tem! Nenhuma empresa estatal é de qualquer governo. Todas são parte do patrimônio do Estado brasileiro, são bens construídos com o dinheiro público, integrantes do conjunto de riqueza do país.Portanto é descabida, quando não criminosa, que uma camarilha de integrantes de partidos políticos, cujo único objetivo é o lucro fácil, tente entregar as riquezas nacionais a qualquer custo. As negociatas dos bens da nação com grandes operadores do mercado internacional despreza toda história de luta para construção da nação brasileira.

A recente liminar do Min.Ricardo Lewandowski do STF determinando que passe pelo Congresso qualquer projeto de privatização, para o exame das condições e razões, a necessária publicidade ao país e a consequente autorização, ou não, por parte daqueles que pensamos serem os ditos representantes da sociedade e dos interesses coletivos, coloca uma importante barreira neste processo de negociatas nos porões da capital federal. Em um momento em que as empresas estatais brasileiras sofrem o maior ataque desde a época de FHC, governo que entregou empresas estratégicas a sanha do capital internacional, assistimos quase que imóveis nos últimos dois anos o esquartejamento da Petrobrás. O desgoverno de Temer segue tentando a qualquer custo privatizar a Eletrobrás. A luta de seus trabalhadores têm sido incansável e provavelmente contribuiu para que o Min. Lewandowski concedece liminar impedindo a venda direta de nossas empresas sem que os brasileiros conheçam as verdadeiras razões e quais critérios são usados pelos imorais ocupantes do poder em Brasília para as sucessivas vendas de ativos, com a esfarrapada desculpa política de venda para pagamento dívidas.

No Rio de Janeiro assistimos também, igual ataque ao patrimônio público, com a tentativa de privatização da Cedae, companhia responsável pelo abastecimento de água de mais de 11 milhões de pessoas. De maneira mais desavergonhada, onde o submisso governo estadual, mergulhado em dívidas e uma aguda crise financeira, segue chantageado pela mesma camarilha de Brasília, com um diferencial, seus principais aliados/cúmplices já estão presos, acusados de diversos crimes, o que por si só deveria invalidar qualquer ação parlamentar que resultasse em prejuízos para população. Também em consequência de uma.liminar do STF, no caso do Min. Roberto Barroso, a Cedae segue Pública e Estatal a serviço dos interesses coletivos do povo do RJ.

O processo eleitoral se aproxima e se você é verdadeiramente patriota apoiará quem luta com você contra as privatizações e a entrega de nossas empresas ao capital internacional.

Nossas empresas publicas geram empregos, renda e produzem tecnologia para o desenvolvimento de nossa nação.

Seguimos juntos na luta.

Lutar não é crime!

AryGirota

Editorial: O privilégio de poder recomeçar

Editorial: O privilégio de poder recomeçar

Saudar um novo ano é sempre um privilégio, ainda mais quando se pode olhar para trás e reavaliar o caminho que nos conduziu até o presente. Muitos foram os desafios, tanto no âmbito pessoal como no coletivo, eu diria que foram enfrentamentos (alguns deles), sem precedentes. O ano de 2016 me permitiu ver, através das pequenas coisas, como sou agraciado e com isso, tenho analisado com cuidado, de maneira holística, todas as ações que no decorrer do findado ano, foram executadas, e chego à conclusão de que, muitas delas eu poderia ter feito diferente. Porém, se errei, foi na intensão de querer acertar, reconheço que foi um ano para aprender e se reinventar, hoje, é possível ver com mais clareza. 
O ano que se inicia é uma página virada, novas oportunidades nos serão confiadas, e as experiência vivenciadas no ano anterior, servirá para podermos escrever uma nova história. Penso que, apesar de ser um novo ano, 2017 será uma continuidade, e é fato que 2016 foi um ano atípico, o mundo presenciou uma avalanche de eventos, que sem sombra de dúvidas afetaram a humanidade, seja no âmbito político, social e cultural, como também no meio econômico. 
Em uma breve retrospectiva, é possível fazer um apanhado das principais questões onde no início do ano, após as eleições federais, o Brasil presenciou às investigações da Lava Jato, que vitimou à prisão importantes nomes do cenário político, dentre eles, o ex-governador Sérgio Cabral. Com desfecho crítico para o PT, a nação brasileira assistiu o impeachment da Presidente Dilma Rousseff e as acusações contra o ex-presidente Lula. 
Presenciamos o afundamento do país, emergido em uma crise sem precedentes, com estados endividados desencadeando um alto índice de desemprego. Em meio a tudo isso, o Rio de Janeiro sediou um dos maiores eventos mundiais, a Olimpíadas, que por falta de uma gestão responsável, ajudou afundar ainda mais o estado. Tantas foram as questões, que o evento quase passou desapercebido. Sem falar no cenário mundial, onde  assistimos, após 50 anos, o fim do embargo econômico entre Cuba e Estados Unidos e a vitória de Donald Tump como presidente do pais americano, aliás, contrariando muitas projeções. 
As pessoas andam tão envolvidas com o dinamismo da informação imposta por uma mídia desconceituada, que passou transformar questões relevantes em meras banalidades e com isso, o que é importante tem ficado no esquecimento, é o caso da tragédia de Mariana, onde muitas vidas foram ceifadas; a epidemia de Zika e Chikungunya; o terremoto no Equador; os atentados que vitimaram centenas de pessoas, além dos vários acidente aéreos. É necessários rever nossas verdadeiras prioridades.
Em meio a este cenário, o Staecnon-RJ esteve atuando, cumprindo seu papel, trabalhando pela categoria, atuando e debatendo sobre questões importantes para o interesse do trabalhador, como a tensa negociação sobre Participação nos Lucros e Resultados para os funcionários da Cedae; a realização do 1º Seminário Nacional de Saneamento e do Coletivo Nacional de Saneamento, com a participação de grandes lideranças sindicais representando vários estados do Brasil; a negociação do Acordo Coletivo de Trabalho para os funcionários da CEDAE, Águas do Paraíba e Odebrecht. Realizamos a eleição para escolher a nova diretoria do sindicato para o próximo quadriênio, com resultado positivo para chapa 01; e elegemos dois representantes para o conselho deliberativo da CAC.
Contra a privatização, o Staecnon-RJ lutou ativamente, em parceria com outros sindicatos, através de manifestações de grande repercussão, onde contamos com a presença dos companheiros do interior em quase sua totalidade; nos fizemos presente junto à ALERJ, formando parcerias e neutralizando as PEC ‘s abusivas que visavam jogar por terra inúmeras conquistas já garantidas. Fortalecemos o departamento Jurídico e buscamos percorremos as bases, aproximando os trabalhadores e estreitando a distância com o sindicato.
Não poderíamos deixar de mencionar as irreparáveis baixas, companheiros que caminharam conosco e que se foram, ficando eternizados em nossa memória. Também é verdade que tivemos muitas alegrias, exprimidas por meio de eventos anuais que ocorreram na sede do nosso sindicato tais como o Dia do Trabalhador e a festa realizada para nossos associados aposentados. 
Externo aqui, o meu muito obrigado a todos os companheiros, certo de que em 2017, continuaremos juntos, construindo parcerias pautadas na confiança mutua e crescente, vencendo os desafios com sabedoria e união.
 
João Marcos Andrade da Silva
Presidente do Staecnon

Saudar um novo ano é sempre um privilégio, ainda mais quando se pode olhar para trás e reavaliar o caminho que nos conduziu até o presente. Muitos foram os desafios, tanto no âmbito pessoal como no coletivo, eu diria que foram enfrentamentos (alguns deles), sem precedentes. O ano de 2016 me permitiu ver, através das pequenas coisas, como sou agraciado e com isso, tenho analisado com cuidado, de maneira holística, todas as ações que no decorrer do findado ano, foram executadas, e chego à conclusão de que, muitas delas eu poderia ter feito diferente. Porém, se errei, foi na intensão de querer acertar, reconheço que foi um ano para aprender e se reinventar, hoje, é possível ver com mais clareza.

O ano que se inicia é uma página virada, novas oportunidades nos serão confiadas, e as experiência vivenciadas no ano anterior, servirá para podermos escrever uma nova história. Penso que, apesar de ser um novo ano, 2017 será uma continuidade, e é fato que 2016 foi um ano atípico, o mundo presenciou uma avalanche de eventos, que sem sombra de dúvidas afetaram a humanidade, seja no âmbito político, social, cultural e econômico.

Em uma breve retrospectiva, é possível fazer um apanhado das principais questões onde no início do ano, após as eleições federais, o Brasil presenciou às investigações da Lava Jato, que vitimou à prisão importantes nomes do cenário político, dentre eles, o ex-governador Sérgio Cabral. Com desfecho crítico para o PT, a nação brasileira assistiu o impeachment da Presidente Dilma Rousseff e as acusações contra o ex-presidente Lula.

Presenciamos o afundamento do país, emergido em uma crise sem precedentes, com estados endividados desencadeando um alto índice de desemprego. Em meio a tudo isso, o Rio de Janeiro sediou um dos maiores eventos mundiais, a Olimpíadas, que por falta de uma gestão responsável, ajudou afundar ainda mais o estado. Tantas foram as questões, que o evento quase passou desapercebido. Sem falar no cenário mundial, onde  assistimos, após 50 anos, o fim do embargo econômico entre Cuba e Estados Unidos e a vitória de Donald Tump como presidente do pais americano.

As pessoas andam tão envolvidas com o dinamismo da informação imposta por uma mídia desconceituada, que passou transformar questões relevantes em meras banalidades e com isso, o que é importante tem ficado no esquecimento, é o caso da tragédia de Mariana, onde muitas vidas foram ceifadas; a epidemia de Zika e Chikungunya; o terremoto no Equador; os atentados que vitimaram centenas de pessoas, além dos vários acidente aéreos. É necessários rever nossas verdadeiras prioridades.

Em meio a este cenário, o Staecnon-RJ esteve atuando, cumprindo seu papel, trabalhando pela categoria, atuando e debatendo sobre questões importantes para o interesse do trabalhador, como a tensa negociação sobre Participação no Lucros e Resultados; a realização do 1º Seminário Nacional de Saneamento e do Coletivo Nacional de Saneamento, com a participação de grandes lideranças sindicais representando vários estados do Brasil; a negociação do Acordo Coletivo de Trabalho para os funcionários da CEDAE, Águas do Paraíba e Odebrecht. Realizamos a eleição para escolher a nova diretoria do sindicato para o próximo quadriênio, com resultado positivo para chapa 01; e elegemos dois representantes para o conselho deliberativo da CAC.

Contra a privatização, o Staecnon-RJ lutou ativamente, em parceria com outros sindicatos, através de manifestações de grande repercussão, onde contamos com a presença dos companheiros do interior em quase sua totalidade, nos fizemos presente junto à ALERJ, formando parcerias e neutralizando as PEC ‘s abusivas que visavam jogar por terra inúmeras conquistas já garantidas. Fortalecemos o departamento Jurídico e buscamos percorremos as bases, aproximando os trabalhadores e estreitando a distância com o sindicato.

Não poderíamos deixar de mencionar as irreparáveis baixas, companheiros que caminharam conosco e que se foram, ficando eternizados em nossa memória. Também é verdade que tivemos muitas alegrias, exprimidas por meio de eventos anuais que ocorreram na sede do sindicato como o Dia do Trabalhador e a festa realizadas para nossos associados aposentados.

Externo aqui o meu muito obrigado a todos os companheiros, certo de que em 2017, continuaremos juntos, construindo parcerias pautadas na confiança mutua e crescente, vencendo os desafios com sabedoria e união.

 

João Marcos Andrade da Silva
Presidente do Staecnon

Staecnon se reúne com vereador e cedaeanos em São João da Barra

Staecnon se reúne com vereador e cedaeanos em São João da Barra

    

O Sindicato dos Trabalhadores em Saneamento - Staecnon/RJ, através de seu presidente Joao Marcos Andrade da Silva, vem percorrendo à região assistida pelo sindicato, cumprindo o seu papel de aproximação com os associados, informando e mobilizando os trabalhadores para luta. 

Na manhã desta quinta (19/01), João Marcos esteve reunido com o Presidente da Câmara de Vereadores de São João da Barra, Aluisio Siqueira, que na ocasião reafirmou o seu apoio à causa cedaeana e à continuidade do saneamento público.

O Presidente do sindicato, além de se reunir com o Vereador Aluisio Siqueira, se reuniu também com os trabalhadores da Cedae sanjoanense no setor comercial e administrativo (Casarão) e na estação de tratamento (ETA).

O Staecnon desenvolve iniciativa esportiva para unir a categoria

O Staecnon desenvolve iniciativa esportiva para unir a categoria

Com o objetivo de buscar maior aproximação entre os associados, a nossa diretoria do sindicato, retoma as atividades esportivas fazendo com que a categoria se una ainda mais. O presidente João Marcos, reuniu na noite da última quinta (01/12), um grupo de Cedaeanos, na quadra poliesportiva, localizada na sede do sindicato, onde foi inaugurada uma nova temporada, e para tanto, deu a sua contribuição, mostrando "todo o talento oculto" em quadra, ao compor um dos times. Sem falar nos demais, uma rapaziada que carregam "excesso de bagagem".

ATENÇÃO PESSOAL, PRECISAMOS DE REFORÇO!

"O projeto tem como objetivo, motivar e unir ainda mais nossa categoria. Pretendemos ampliar a iniciativa para nossas bases. - Disse o presidente João Marcos.
Sindicato se reúne com trabalhadores em Miracema

Sindicato se reúne com trabalhadores em Miracema

MIRACEMA29 08 16 3

O presidente João Marcos conversa com trabalhadores e busca conhecer as carências do dia a dia, o fato se deu no último dia 16/08, no Município de Miracema-RJ. Aproximação do sindicato nas bases já está sendo apreciada pela categoria.

O Staecnon fecha com saldo positivo mais um dia de reuniões

O Staecnon fecha com saldo positivo mais um dia de reuniões

MIRACEMA29 08 16 1    MIRACEMA29 08 16 2

Fechando mais um dia de importantes passos rumo à construção de um novo método de gestão, o presidente do Staecnon, João Marcos, esteve com os companheiros de Itaocara, onde atua o diretor sindical Alédio Sarayva. Na ocasião compartilhou informações e conferiu o processo do exame periódico, este já sendo realizado na região noroeste.